Assembleia da RNPI: ANDI é eleita secretaria executiva para triênio 2018 a 2020

Abraços e encontros, discussões políticas, muitas trocas de informação e propostas de ação em rede. Esse foi um pouco do que rolou na Assembleia Extraordinária da Rede Nacional Primeira Infância, que reuniu cerca de 80 defensores de direitos das crianças da primeira infância de todo o Brasil, no Rio de Janeiro, durante os dias 29 e 30 de junho (clique aqui para ver o álbum de fotos do encontro). Um dos pontos altos do encontro foi a eleição da ANDI – Comunicação e Direitos como nova secretaria executiva da RNPI no período de janeiro de 2018 a dezembro de 2020.

Miriam Pragita, da ANDI, eleita secretaria executiva da RNPI para o triênio 2018 a 2020

Miriam Pragita e Ana Potyara, da direção-executiva da ANDI – Comunicação e Direitos, estiveram presentes na assembleia e fizeram uma apresentação da organização, que é uma das fundadoras da Rede Nacional Primeira Infância. Fundada em 1993, a ANDI tem como missão contribuir para uma cultura de promoção dos direitos humanos, dos direitos da infância e da juventude, da inclusão social e do desenvolvimento sustentável a partir de ações no âmbito do jornalismo. A infância e juventude são uma das três áreas de atuação da ANDI, que  também atua no campo da inclusão e sustentabilidade e em políticas de comunicação. É a idealizadora da Rede ANDI Brasil e Rede ANDI América Latina, e tem uma série de publicações memoráveis sobre os direitos das crianças e adolescentes.  “Estamos animadas e empolgadas! Sermos eleitos para assumir a secretaria executiva da RNPI é uma volta às nossas origens e honra essa trajetória, já que a ANDI nasceu como uma organização voltada à infância e adolescência. A primeira infância precisa ser tratada pelos governantes como prioridade absoluta. Esse é um tema muito relevante para o país e é a causa pela qual a RNPI tanto batalha”, afirmou Miriam Pragita. A ANDI era a única candidata, e foi eleita pelas 43 organizações presentes.

Lançamentos e novidades

Durante a assembleia, vários lançamentos e novidades foram compartilhados entre os participantes. A plataforma “A criança e o Espaço: a cidade e o meio ambiente”, lançada em maio e que foi apresentada para os integrantes da RNPI. Raquel Franzim, do Alana, fez uma fala de abertura ressaltando a importância do convívio social e interação com a cidade para o desenvolvimento das crianças. Carolina Drugg, do Programa Primeira Infância Melhor – um dos projetos inspiradores listados na plataforma, sensibilizou a assembleia abordando o direito das crianças à moradia digna, um dos eixos do site. Carolina relatou uma história revoltante, de violação de direitos por parte do Estado, durante a desocupação de um prédio na capital Porto Alegre, em que crianças e suas famílias foram despejadas à noite. Além de refletir e conhecer melhor sobre o tema, os integrantes da RNPI foram convidados a pensar em possíveis estrategias de uso do novo site junto aos gestores públicos e técnicos nos municípios. E para celebrar o lançamento do site e a potência das histórias inspiradoras ali registradas, os participantes seguiram em cortejo pelas ruas de Copacabana, puxados pelo trio Flor de Manacá, em direção à praça do Bairro Peixoto, onde dançaram, brincaram, e expressaram seus desejos para as crianças do mundo.

Também no segundo dia, Heloísa Oliveira, da Fundação Abrinq, fez uma apresentação sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), e iniciou sua fala agradecendo aos integrantes da RNPI o apoio na eleição da organização para a Comissão Nacional para os ODS. Além de fazer uma breve apresentação sobre a atual situação do monitoramento dos ODS, Heloísa apresentou projetos de lei em tramitação no Congresso acompanhados pela Fundação Abrinq e que representam retrocesso aos direitos das crianças e adolescentes.

Representando o Instituto C&A, Patrícia Lacerda apresentou a mudança nas linhas de investimento da organização, que apoia institucionalmente a RNPI desde 2010, e compartilhou o processo de elaboração de uma avaliação da Rede Nacional Primeira Infância, que será feita de forma participativa. Após a apresentação, o público foi convidado a sugerir perguntas e temas que devem ser abordados pela avaliação, cuja previsão de conclusão é outubro deste ano.

No momento de lançamentos de participação infantil, Mariana Koury e Raquel Ribeiro, do projeto Criança Pequena em Foco, do CECIP, apresentaram a publicação virtual “Diálogos pela cidade: crianças do passado conversam com adultos do futuro”, que sistematiza o seminário nacional sobre a criança e sua participação na cidade. Em seguida, Ana Marcílio, da Avante – educação e mobilização social apresentou o vídeo-documentário Vozes das Crianças, que registra expressões infantis em cinco diferentes países, e foi produzido junto a um grupo de especialistas no tema da participação infantil, integrantes do World Forum.  E a Secretaria Executiva da RNPI anunciou o seu mais novo lançamento, o curso online “Elaboração do Plano Municipal pela Primeira Infância”, feito com base na publicação de mesmo nome, e que é voltado para gestores públicos e técnicos das secretarias municipais, conselheiros dos Conselhos Municipais de Direitos da Criança e Adolescente, e profissionais das organizações integrantes da RNPI. O curso online inaugura uma nova área do site da Rede chamado “Mais Saber”, voltado para oferta de cursos e formações.

Pré-Assembleia

Antes do início da assembleia, aconteceram duas reuniões preparatórias. A reunião presencial do Grupo Gestor da RNPI – que é composto pelas seguintes organizações: Alana, Avante – educação e mobilização social, CPPL, Estrategia Brasileirinhas e Brasileirinhos Saudáveis, Fundação Abrinq, Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, Instituto Viva Infância, Movimento Interfóruns da Educação Infantil do Brasil (MIEIB), Pastoral da Criança, Undime. Em outra sala, aconteceu uma reunião entre  os coordenadores dos oito Grupos de Trabalho em atividade na RNPI, são eles: GT Educação Infantil, GT Saúde, GT do Brincar, GT Cultura, GT Homens pela Primeira Infância, GT Participação Infantil, GT Planos Municipais pela Primeira Infância e GT Prevenção e Proteção contra violências. Na última hora de trabalho, as duas reuniões se conectaram, trocando experiências e sugestões para o bom desenvolvimento dos Grupos de Trabalho – coletivos importantíssimos na construção do conhecimento técnico e formulação de ações coletivas da Rede Nacional Primeira Infância.

 

Rosa Maria Mattos

Assessora de comunicação da Rede Nacional Primeira Infância

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *