Belo Horizonte – II Roda de Conversa | Violência Sexual: o que eu tenho com isso?

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes é celebrado anualmente em 18 de maio, por isso, alunos da Faculdade de Educação em conjunto com o D.A gestão a Luta Educa, promove essa roda de conversa em sua segunda edição, com o intuito de fomentar a reflexão sobre nosso papel enquanto educadores diante desse assunto ainda tabu e tão delicado.

Em 2014, o Disque-Denúncia Nacional da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) registrou mais de 91 mil denúncias de violações de direitos de crianças e adolescentes. Esse número não representa, necessariamente, o tamanho do problema, mas traz uma dimensão de como está fortemente inserido na sociedade. São muitas as variáveis a serem consideradas, e os números disponíveis dão apenas um perfil geral do problema.

O Brasil apresenta uma forte carência de dados sobre a violência sexual de crianças e adolescentes. O que sabemos é que existem fatores de vulnerabilidade que incidem diretamente sobre o problema, aumentando os casos de violação de direitos. Dentre os principais fatores estão pobreza, exclusão, desigualdade social, questões ligadas à raça, gênero e etnia. Além disso, a falta de conhecimento sobre direitos da infância e adolescência também contribui para o aumento das violações. Entre os casos registrados, um ou mais desses fatores estão quase sempre presentes.

Realização do Evento
Local: Faculdade de Educação/UFMG – Auditório Luiz Pompeu
Horário: 17h às 19h
Não é necessário inscrição prévia. Aberto a toda comunidade.
HAVERÁ ENTREGA DE CERTIFICADO
Organização: Estudantes da Faculdade de Educação da UFMG e D.A.

Programação
Mesa:
1- Projeto Cavas/ UFMG
2 – WALTER UDE
3- JOZELI ROSA DE SOUZA – Violência Não!

Projeto CAVAS/UFMG

Projeto CAVAS: Extensão e Pesquisa com crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual

O Projeto CAVAS/UFMG foi implantado no Departamento de Psicologia da UFMG, em 2005, pela Prof. Dra. Cassandra Pereira França. Seu marco teórico é a Psicanálise e a Clínica Ampliada. Seguindo sua vocação acadêmica, o projeto segue duas vertentes de atuação social: uma ação interna na UFMG e outra externa. A primeira delas envolve compromissos dentro da instituição universitária, tais como a assistência psicológica a crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual e o treinamento de estudantes de Psicologia para as especificidades dessa clínica – o que é realizado através de estágios, seminários clínicos e grupos de estudo. A segunda vertente de atuação, a externa, refere-se ao compartilhamento dessas experiências com profissionais das redes sociais de enfrentamento à violência sexual infanto-juvenil, através de Simpósios e Cursos de Capacitação dirigidos a psicólogos, assistentes sociais, médicos, advogados e conselheiros tutelares. A bagagem teórico/técnica que vem sendo adquirida ao longo dos anos, através da experiência clínica e de inúmeras pesquisas de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFMG, está compilada em três livros: “Perversão: as engrenagens da violência sexual infantojuvenil” (Imago, 2010); “Tramas da Perversão: a violência sexual intrafamiliar” (Escuta, 2014); “Ecos do silêncio: reverberações do traumatismo sexual” (Escuta, 2017).

Walter Ernesto Ude Marques

Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1981), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1993) e doutorado em Psicologia pela Universidade de Brasília (2000). Pós-Doutorado na Universidade Federal Fluminense (2006-2007); Pós-doutorado na Universidade Federal de Juiz de Fora (2013). Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal de Minas Gerais, no Programa de Pós-graduação Promestre, e professor da Faculdade Universo. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Social, atuando principalmente nos seguintes temas: trabalho infantil, infância, marginalização, sistema prisional, sistema socioeducativo, escola e prevenção.

Jozeli Rosa de Souza

Bacharel em Direito, pós – graduanda em Direitos Humanos. Integrante da Organização de Mulheres Negras Ativas e do Coletivo Brejo das Sapas. E militante da área da Infância e Juventude e desenvolve outras ações culturais em Belo Horizonte e em outras redes em âmbito Nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *