Boletim Primeira Infância em Primeiro Lugar

28 de Janeiro a 04 de Fevereiro de 2011

Ceará

Crianças estão mais suscetíveis à dengue

A incidência de casos de dengue em Fortaleza (CE) cresceu 78% em janeiro em comparação ao mesmo período de 2010. Os dados são da Secretaria de Saúde, que registrou 236 casos em janeiro deste ano. Um dos motivos para o aumento é o fato de que o tipo de vírus que está circulando no estado, este ano, é o Dengue I, que incidiu na capital pela última vez em 2002. O coordenador de Promoção e Proteção à Saúde da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), Manoel Fonseca, explica que, por essa razão, há maior risco de transmissão em crianças com até 10 anos, que não desenvolveram imunidade a esse tipo de vírus. Cerca de 30% dos casos de dengue registrados em janeiro ocorreram em meninos e meninas. (Diário do Nordeste (CE), Bruno Saraiva – 01/02/2011)

Minas Gerais

Crianças usam o computador antes de saber amarrar sapato

Atividades importantes na infância, como aprender a andar de bicicleta e nadar, perderam espaço para a tecnologia. Segundo estudo feito com 2.200 mães com filhos entre dois e cinco anos, sete em cada dez crianças aprendem a usar um computador antes de saber amarrar os cadarços. O levantamento, feito pela empresa de segurança virtual AVG em 11 países com acesso à internet, indica que 58% das crianças entre dois e cinco anos de idade sabem como se divertir com um jogo básico de computador – em países como Reino Unido e França, esse índice supera os 70%. Em comparação, apenas 43% dos pequenos nessa faixa etária sabem andar de bicicleta. J.R. Smith, executivo-chefe da AVG, diz que “essas crianças estão crescendo em um ambiente que seria irreconhecível para seus pais”. (O Tempo (MG) – 04/02/2011)

Paraíba

Hospital infantil é inspecionado

Inspeção realizada pela Promotoria da Saúde do Ministério Público da Paraíba (MPPB), na manhã do dia 03 no Hospital Infantil Arlinda Marques, confirmou um princípio de incêndio na noite da última quarta-feira (02). A causa foi um curto circuito no setor de radiologia. Foram identificadas também algumas irregularidades estruturais. Além do MPPB, participaram da inspeção o Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) e a Vigilância Sanitária. O diretor de fiscalização do CRM-PB, Eurípides Mendonça, afirmou que a inspeção levou em consideração as condições dos pacientes. Segundo Mendonça, as crianças que estão precisando de cirurgias emergenciais serão encaminhadas ao Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW) para serem atendidas. (Jornal da Paraíba (PB) – 04/02/2011)

Paraná

Cuidados desde o berçário podem detectar problemas nos olhos

Visitas regulares ao oftalmologista e observação das crianças podem detectar problemas de vista nos pequenos. A artista plástica Valdirene Aparecida de Mello, mãe de Roger André Candoti Júnior, de seis anos, realizou o exame do olhinho no filho logo que ele nasceu. No entanto, na época não foi detectado nenhum problema. A observação da mãe foi fundamental para a descoberta do alto grau de miopia que se desenvolveu no garoto a partir dos quatro anos. A engenheira eletricista Juliana Trainotti, mãe dos quadrigêmeos Débora, Giovana, Bárbara e Felipe, hoje com seis anos, conta que o exame dos olhinhos detectou a presença do microestrabismo e hipermetropia em Débora. ”Se não fosse o acompanhamento e a correção com os óculos, o problema poderia ter se agravado”, afirma. (Folha de Londrina (PR) – 01/02/2011)

Rio Grande do Sul

Higiene bucal deve começar antes da dentição de leite

Apesar de o Brasil integrar o grupo de países com baixa prevalência de cárie segundo a Pesquisa Nacional de Saúde Bucal, do Ministério da Saúde, ainda há pouca atenção à higiene bucal dos bebês e crianças com dentes de leite. Segundo especialistas, a saúde dos primeiros dentes tem influência direta sobre os permanentes. Para evitar o aparecimento problemas, recomenda-se que os pais evitem alimentos muito açucarados, refrigerantes, não adicionem açúcar em frutas que já são doces. Caso contrário, o paladar da criança pode ficar viciado. A recomendação é que, antes mesmo de sair os primeiros dentes, as mães limpem a gengiva com uma gaze úmida. O fio dental deve entrar na rotina quando já há um maior número de dentes, sem espaço entre eles. Até os sete anos, o ideal é que essa seja uma tarefa dos pais. (Gazeta do Povo (RS) – 31/01/2011)

São Paulo

Adaptação no ensino infantil serve para tranquilizar pai e criança

Pensando nos pais que ficam apreensivos nos primeiros dias de aula e nas crianças que não estão acostumadas com esta rotina, as escolas infantis realizam no início das aulas o processo de adaptação dos novos alunos. Nos primeiros dias, pai, mãe ou outra pessoa próxima é convidada a acompanhar a criança na escola. “Isso funciona como uma via de mão de dupla. A criança vai se adaptando e o acompanhante vai vendo como é o funcionamento da escola”, diz Vânia de Almeida Salek, autora de A Criança Até 4 Anos – Um Guia Descomplicado para Educadores (e Pais Curiosos). O papel desse acompanhante não é distrair o aluno, mas dar conforto para que ele possa, aos poucos, se integrar à classe e realizar as atividades com os colegas. (Folha de S. Paulo (SP) – 31/01/2011)

Um comentário para “Boletim Primeira Infância em Primeiro Lugar

  1. Adaptação no ensino infantil serve para tranquilizar pai e criança

    Incrível, temos todo o cuidado para que a criança no processo de adaptação sinta-se acolhida, protegida, enfim confie e goste da escola. Muitas sofrem outras se integram como se estivesse em sua casa.
    Mas observamos também, que o sucesso da adaptação está diretamente ligado a “adaptação dos pais”.
    Quando os pais se sentem seguros, conhecem todo espaço da escola, os professores, os funcionários, tem acesso a todas as atividades desenvolvidas na escola, tem livre acesso a escola, a adaptação desse aluno é sensacional.
    Muitas vezes, presenciei pais sairem chorando porque seus filhos deram tchau e entraram na escola para brincar, pois eles esperavam uma outra reação do filho, o choro,o medo da separação…
    A escola tem o dever de abrir as portas a qualquer hora aos pais, com certeza eles são os nossos “fiscais”, apontam o que de melhor tem a escola o que poderia ser melhorado, torna-se parceiro de verdade.
    A adaptação é o momento mais importante em todo processo educativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.