Campanha”Toda gestação dura 1000 dias”, da Pastoral da Criança

1000 diasCom a finalidade de incentivar e intensificar os cuidados na gravidez e na primeira infância, a Pastoral da Criança chama a atenção para a importância dos primeiros 1000 dias de vida. O período em questão compreende os 270 dias referentes aos 9 meses da gestação, mais 365 dias  do 1º ano de vida e 365 dias do 2º ano de vida.

A situação da criança brasileira melhorou muito nos últimos anos. Hoje, os desafios da Pastoral da Criança são diferentes do que eram na sua fundação, há quase 34 anos. Diminuíram os índices de mortes, desnutrição, infecções e o acesso ao Sistema Único de Saúde (SUS) aumentou. No entanto, as doenças crônicas dos adultos aumentam a cada dia. E grande parte delas pode ser explicada por fatores desta fase dos primeiros 1000 dias.

Em 2015, esta temática, que já era abordada pelos voluntários da Pastoral da Criança em suas atividades de acompanhamento às famílias, ganhou destaque no Museu da Vida, em Curitiba, e também nos meios de comunicação de todo o país. Com a campanha nacional “Toda gestação dura 1000 dias”, parceria entre a Rede Globo e a Pastoral da Criança, mais famílias puderam ter acesso a informações sobre a importância dos cuidados desde o início da gestação até os dois anos de idade. Em 2017, continua o esforço para fortalecer a campanha e divulgar cada vez mais os cuidados fundamentais no início da vida.

A campanha “Toda gestação dura 1000 dias” é fundamentada na teoria desenvolvida pelo médico e pesquisador inglês Dr. David Barker. Em 1989, ele lançou a hipótese de que muitas doenças que apareciam na vida adulta eram decorrentes de problemas na gestação, especialmente do que ele chamou de desnutrição intrauterina. Sua pesquisa demonstra que pessoas que nascem com baixo peso têm maior risco de desenvolver doenças do coração, colesterol, diabetes, obesidade, hipertensão arterial, problemas no funcionamento dos rins, osteoporose, entre outras. Além do Dr. Barker, outros pesquisadores também demonstraram que o que acontece nos primeiros 1.000 dias de vida pode afetar nossa saúde durante toda a vida.

Nos últimos 20 anos, ao mesmo tempo em que a mortalidade infantil foi diminuindo consideravelmente, há mais bebês nascendo com peso baixo (com menos de 2,5 kg) e também mais bebês nascendo antes do tempo (prematuros). Nesse cenário, é essencial disseminar informação sobre a importância do pré-natal, parto normal, alimentação, higiene, hábitos de vida saudáveis (como praticar atividade física e evitar fumo, drogas e álcool), acompanhamento mensal do bebê no posto de saúde, aleitamento materno, entre outros aspectos importantes para o desenvolvimento infantil.

Essas informações chegam até as famílias acompanhadas pela Pastoral da Criança por meio dos líderes voluntários, durante as visitas domiciliares nas comunidades e nos dias de Celebração da Vida (momento em que os voluntários se reúnem com as famílias para celebrar conquistas, conversar sobre os desafios e temas importantes para o desenvolvimento das crianças, registrar o peso das crianças e confraternizar).

Vídeos, dicas, reportagens e mais informações estão disponíveis no site: www.pastoraldacrianca.org.br/1000-dias.

(Fonte: Núcleo de Comunicação da Pastoral da Criança)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *