Plano Nacional Primeira Infância

Em 07/12/2010 foi lançado em Brasília o Plano Nacional Pela Primeira Infância, a proposta é uma sugestão que propõe ações amplas e articuladas de promoção e realização dos direitos da criança Infância, que propõe ações amplas e articuladas de promoção e realização dos direitos da criança de até seis anos de idade nos próximos doze anos. Neste Plano estão traçadas as diretrizes gerais e os objetivos e metas que o País deverá realizar em cada um dos direitos da criança afirmados pela Constituição Federal e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, pelas leis que se aplicam aos diferentes setores, como educação, saúde, assistência, cultura, convivência familiar e comunitária e outros que lhe dizem respeito.

Circulador: Aprendendo a ser pai

Clique aqui para fazer download. A presente publicação apresenta experiências de valorização da paternidade de algumas das instituições que aderiram a esta causa. Com coragem, sensibilidade e criatividade, apostaram na possibilidade de mudança e construíram estratégias para valorizar os homens e envolver os pais, a partir das oportunidades do dia-a-dia, mostrando que, através dos nossos serviços, podemos construir uma sociedade mais saudável, justa, solidária e comprometida com a valorização da vida.

Pelo fim dos castigos físicos e humilhantes

Clique aqui para fazer o download. “O ponto de partida deste material é o entendimento de que as crianças têm o direito a um ambiente seguro e protetor, ou seja, crescer em famílias onde estejam livres da violência e tenham os cuidados que precisam para se desenvolver. Estes direitos estão contemplados no Estatuto da Criança e do Adolescente e na Convenção dos Direitos da Criança.Este manual é uma ferramenta que pode ser utilizada por profissionais de diversas áreas que pretendem envolver as famílias em um processo reflexivo e de sensibilização sobre os castigos físicos e humilhantes contra crianças.”

Contribuições para a política nacional: A avaliação em Educação Infantil a partir da Avaliação de Contexto

Clique aqui para fazer o download da publicação virtual, uma contribuição dos integrantes do Projeto “Formação da Rede em Educação Infantil: Avaliação de Contexto” para a política nacional de avaliação em Educação Infantil. O projeto é uma ação da Universidade Federal do Paraná com outras universidades brasileiras (Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade Federal do Rio de Janeiro e Universidade do Estado de Santa Catarina), além da universidade italiana – Università degli studi di Pavia/Itália – e conta com a par-ceria técnica e financeira da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação.

Apresentações durante o II Seminário Nacional Saúde e Primeira Infância, dia 29/03/2016, no Rio de Janeiro

Clique no nome de cada palestrante para ter acesso ao que foi apresentado durante o II Seminário Saúde e Primeira Infância, no dia 29 de março de 2016, no auditório do Ministério da Saúde, no Rio de Janeiro.

Zika vírus e microcefalia

Fernanda Medeiros, da Coordenação Geral de Saúde da Criança e Aleitamento Materno, do Ministério da Saúde

Márcia Machado, Universidade Federal do Ceará

 

Mortalidade Infantil em populações tradicionais

Luzia Lafitte, do Instituto da Infância (IFAN)

Flavio Debique, da Plan International Brasil

Paulo Frias, do Instituto Materno Infantil Prof. Fernando Figueira (IMIP)

Gabriela Guida de Freitas, da Criança Segura

Instrumentos de Diagnóstico Situacional da Primeira Infância e do Marco Lógico para a Elaboração dos Planos Municipais pela Primeira Infância

Clique aqui para acessar a publicação.

Primeira Infância em Primeiro Lugar: um levantamento das redes de advocacy pelos direitos da criança

Primeira Infância em Primeiro Lugar – advocacy em primeira infância por meio de um olhar integral  e integrado da criança reúne experiências em rede como estratégia de advocacy pelos direitos na primeira infância. A publicação visa: (a) dar ênfase às articulações em rede, sobretudo em contextos de iniquidade e violação de direitos, como uma estratégia fundamental para a incidência política e o controle social; (b) o fortalecimento da primeira infância na perspectiva de sujeito de direitos e criança cidadã; (c) uma perspectiva regional e um olhar sul-sul de experiências em rede como estratégia de advocacy, ampliando a possibilidade de articulações para além do nível local.