Caminhos Lúdicos do Grande Mucuripe

Entre os meses de julho de 2019 e setembro de 2021, o Instituto da Infância realizou a Ação Olhares Eco Protetores, que integra o Projeto Primeira Infância é Prioridade, uma realização em parceria com a Rede Nacional Primeira Infância (RNPI), ANDI – Comunicação e Direitos, e patrocinada pela Petrobras. A Ação Olhares Eco Protetores teve como objetivo geral fomentar abordagens para os temas “proteção contra violências domésticas” e “direito da criança à cidade e ao meio ambiente” nos bairros Cais do Porto, Mucuripe, Praia do Futuro II e Vicente Pinzón, localizados em Fortaleza (CE). Esta publicação vem partilhar relato texto-visual sobre as oficinas educativas “Caminhos Lúdicos do Grande Mucuripe”, realizadas em 2021 com crianças da região na temática do seu direito a viver em cidades de qualidade, cidades que possibilitem experiências em um meio ambiente equilibrado. As oficinas foram inspiradas na metodologia Caminhos Lúdicos, validada em 2019 com crianças do bairro Vila Velha II, em Fortaleza, pelo Projeto Atitude Legal (Instituto da Infância e Kindernothilfe e.V – KNH). Devido à pandemia por Covid-19, a equipe da Ação Olhares Eco Protetores optou por realizar oficinas híbridas (online e presenciais), garantindo a adoção de normas sanitárias, como o uso obrigatório de máscara e álcool em gel à disposição de todos. Nos encontros virtuais, as crianças responderam a pesquisa quali-quantitativa sobre pontos positivos e negativos que elas identificavam no percurso de casa ao posto de saúde mais próximo. Na etapa presencial, os meninos e meninas aprenderam sobre seus direitos e deveres e produziram desenhos a partir do slogan “Esse é o Grande Mucuripe dos meus sonhos”. Por fim, as crianças transferiram seus traços para camisetas personalizadas da Ação, materializando, assim, seus sonhos e expectativas para os espaços públicos dos bairros onde moram.
Confira aqui a publicação completa

Infâncias, Cidade e Meio Ambiente

O artigo “Infâncias, Cidade e Meio ambiente: Refletindo sobre algumas possibilidades” é um dos resultados da etapa final de execução do Projeto Primeira Infância é Prioridade – Ação Olhares Eco Protetores. O texto convida ao olhar para a realidade das crianças que vivem nas cidades brasileiras, fazendo uma reflexão sobre os caminhos possíveis para garantir a todas as infâncias uma interação saudável com os espaços urbanos e com a natureza. No sentido de ampliar o debate junto às administrações públicas municipais/estaduais e sociedade civil, o artigo apresenta uma proposta de Teoria da Mudança com a finalidade de transformar a tríade “infâncias, cidade e meio ambiente”.
O Projeto Primeira Infância é Prioridade foi uma realização do Instituto da Infância (Ifan) em parceria com a Rede Nacional Primeira Infância (RNPI), ANDI – Comunicação e Direitos, e contou com patrocínio da Petrobras.
Acesse aqui o texto do artigo

Plano Nacional pela Primeira Infância

O Plano Nacional pela Primeira Infância (PNPI) é um documento político e técnico que orienta decisões, investimentos e ações de proteção e de promoção dos direitos das crianças na primeira infância. O foco nos primeiros seis anos é coerente com o relevante significado desse período no conjunto da vida humana e é a forma de assegurar os direitos da criança com a necessária especificidade e com a prioridade que lhe atribui a Constituição Federal (art. 227).

Proteção contra a violência doméstica

Este documento tem como objetivo refletir sobre os resultados das Oficinas de Parentalidade do Projeto Primeira Infância é Prioridade – Ação Olhares Eco Protetores e da Pesquisa – Conhecimentos e Relatos de Prática de Violência doméstica contra crianças de 0 a 11 anos – primeiro ciclo do Projeto.
As atividades foram desenvolvidas em quatro bairros da Cidade de Fortaleza (Regional II): Cais do Porto, Mucuripe, Praia do Futuro II e Vicente Pinzon, comunidades da área de abrangência da Petrobras – LUBNOR. Além da temática da parentalidade, a ação Olhares Eco Protetores incorpora a temática criança – cidade e natureza, fechando assim os três ciclos de Oficinas:  Parentalidade – violência doméstica, oficinas de vídeo e oficinas de fotografia. Estas duas últimas serão realizadas com grupos de adultos e crianças dentro da ocorrência da temática criança – cidade e natureza.

Receite uma brincadeira

O GT Brincar, da Rede Nacional Primeira Infância, acaba de lançar a campanha Receite uma Brincadeira. No livreto abaixo você encontra dicas de brincadeiras para fazer com as crianças.

1

2

3

4

5

6

7

8

Você também pode baixar o material completo clicando aqui.

 

 

Instrumentos de Diagnóstico Situacional da Primeira Infância e do Marco Lógico para a Elaboração dos Planos Municipais pela Primeira Infância

Clique aqui para acessar a publicação.

Relatório Técnico do Seminário Nacional Paternidade e Primeira Infância

Clique aqui para fazer download.

O relatório contempla: Introdução, Principais Discussões do Seminário ( Mesa de Abertura, Primeira mesa: Cuidado paterno e seus impactos na primeira infância e na família, Segunda mesa: Estratégias de  Institucionalização do Cuidado Paterno, Terceira mesa: Paternidade e Primeira Infância: Experiências de Mobilização e Comunicação), Sistematização das discussões dos
Grupos de Trabalhos, Carta de Recomendações: Paternidade e Primeira Infância: recomendações para Políticas Públicas, Desdobramentos do Seminário, o texto “A ampliação da licença-paternidade no Brasil é um direito das crianças fundamental para a maior equidade de gênero”, Referências, Leis, Teses e Trabalhos Acadêmicos, Cartilhas e Manuais, Links de Vídeos e Links Recomendados)

Políticas de Segurança e Direitos Humanos: Enfocando a primeira infância, infância e adolescência

Clique aqui para fazer download.

Este trabalho é fruto de um pensar coletivo e conectado entre diversos atores sociais e foi desenvolvido a partir da trajetória de realização de dois Colóquios latino-americanos intitulados Políticas de Segurança e Direitos Humanos: Enfocando a Primeira Infância, Infância e Adolescência. O primeiro ocorreu em São Paulo em setembro de 2011. E o segundo teve lugar no Rio de Janeiro, em março de 2013. O I Colóquio surgiu a partir de um convite da Equidade para a Infância América Latina que foi acolhido e nutrido pelo Instituto Arcor Brasil, a Fundación Arcor (Argentina), o Instituto C&A e a Rede Nacional Primeira Infância; e apoiado pelo CIESPI/PUC-Rio e a ANDI Comunicação e Direitos. Seus resultados animadores prepararam o terreno para realização do II Colóquio, dando seguimento aos debates do primeiro ano. Este segundo evento foi organizado pela Equidade para a Infância, CIESPI/PUC-Rio, PUC-Rio, Rede Nacional Primeira Infância, Instituto Arcor Brasil e Fundación Arcor, tendo o apoio do Instituto C&A, Fundação Bernard van Leer, Avante Educação e Mobilização Social e Andi Comunicação e Direitos.