A CRIANÇA E O ESPAÇO: A CIDADE E O MEIO AMBIENTE

Inspire-se

Basurama Brasil

O lixo acumulado e a falta de espaços de lazer para as crianças são dois problemas graves e freqüentes nas periferias brasileiras. E foi a partir de sua junção que a equipe do coletivo Basurama Brasil passou a criar soluções. Por meio de diversos projetos, como Lixo Não Existe, Verdejando Heliópolis e Playground, eles utilizam resíduos sólidos para construir praças e brinquedos para os moradores de regiões pobres do país.

A cidade que mais concentra iniciativas do coletivo é São Paulo, pois é na capital paulista que está o escritório do Basurama no Brasil. Mas já aconteceram ações em Rio de Janeiro, São Bernardo do Campo e Florianópolis, entre outros municípios. Criado Em Madri, na Espanha, em 2001, o grupo está presente hoje nos quatro continentes e tem como objetivo a pesquisa, criação e produção cultural e ambiental a partir dos processos de geração de resíduos.

O projeto Lixo Não Existe surgiu nas ruas das periferias de São Paulo, com pequenas intervenções de construção de brinquedos e equipamentos públicos, como praças e parques, em locais degradados onde não havia atrativos para as crianças e os jovens. As instalações eram feitas praticamente sem recursos, apenas com a colaboração das comunidades e com materiais descartados, como pneus. Os pequenos eram convidados a participar de todo o processo, inclusive na hora de colocar a mão na massa, sempre com supervisão para evitar acidentes. Para garantir a efetividade das ações, a equipe do Basurama desenvolveu uma metodologia simples que pudesse ser apropriada por pessoas amadoras.

O sucesso das intervenções foi grande e fez o coletivo perceber o tamanho da carência de recursos para a criação de espaços públicos e de convivência social no país. A equipe passou a receber convites para realizar as ações em diversos pontos de São Paulo e em outros estados. Para responder à demanda, foi desenvolvido um projeto de tecnologias abertas que possibilitasse a aplicação em qualquer cidade, de forma independente. Hoje, o Basurama disponibiliza manuais de instruções, vídeos e outros materiais pedagógicos na internet.

Com o apoio do programa São Paulo Carinhosa, iniciativa da prefeitura de São Paulo voltada para a primeira infância, o coletivo aproveitou postes de iluminação velhos descartados pelo poder público para, junto com as crianças do bairro Parque Santo Antônio, na periferia sul da cidade, criar um parque de brinquedos. Assim, em 2015, surgiu o projeto Playground, que transformou um grande carregamento de ferro retorcido em um parquinho divertido e desafiador para as crianças, instalado em um grande terreno da localidade.

Já Verdejando Heliópolis é um projeto que surgiu do contato da equipe Basurama com a associação de moradores da comunidade, Unas, que tem um importante trabalho, com iniciativas junto ao poder público e com o apoio da iniciativa privada, para transformar Heliópolis em um bairro educador. A convite do Instituto Baccarelli e do movimento Transition Towns, e com apoio de IT3S (Instituto de Fomento à Tecnologia do Terceiro Setor) e CRIS (Centro de Referência e Integração em Sustentabilidade), Basurama e Unas se uniram para realizar mutirões de intervenção urbana com a participação das escolas infantis de Heliópolis, num processo que tinha a proposta de ser educativo. Em agosto de 2012, eles criaram jardins verticais feitos de garrafas PET para verdejar as ruas do bairro.

Para além de projetos de urbanismo participativo, o coletivo Basurama também realiza instalações artísticas e culturais em espaços públicos e privados. O objetivo é sempre promover a reflexão sobre a produção dos resíduos sólidos e como eles podem ser usados para tornar os espaços públicos mais humanizados, com intervenções que proporcionem o contato com o lazer e a cultura.

eixomoradia_foto5

inspireSe_Basuama_01  inspireSe_Basuama_03

inspireSe_Basuama_02 inspireSe_Basuama_023

2016 Secretaria Executiva da Rede Nacional Primeira Infância - Triênio 2015/2017: CECIP - Centro de Criação de Imagem Popular