A CRIANÇA E O ESPAÇO: A CIDADE E O MEIO AMBIENTE

Inspire-se

Grupo Sobrevento

É na visão da criança como um ser pleno, capaz de se comunicar, relacionar e emocionar que o Grupo Sobrevento se baseia para a criação de seus espetáculos de teatro para bebês. Fundada há 30 anos, a companhia começou a montar peças para este público há aproximadamente 11, quando alguns de seus integrantes tiveram filhos. Hoje, possui três espetáculos para crianças de 6 meses a 3 anos em repertório, já se apresentou em diversos países, é uma referência internacional no teatro para bebês e um dos expoentes dos debates sobre cultura para a primeira infância no país, integrando a Rede Nacional Primeira Infância.

As peças para esta idade apresentadas pelo grupo são “Bailarina”, “Terra” e “Meu Jardim”. Bem diferentes entre si em temáticas e linguagens, os espetáculos indicam que não há regras no teatro para bebês.

“Para o artista, é muito provocador, uma espécie de recomeço e reinvenção. O teatro para a primeira infância te obriga a repensar suas certezas em relação ao público. Não dá para dizer que os bebês gostam mais de determinado tipo de espetáculo ou cenário. Não há verdades prontas com eles”, observa Luiz André Cherubini, um dos fundadores do Grupo Sobrevento e que completa:

“Nós fazemos teatro para bebês porque acreditamos na capacidade poética como sendo inata ao ser humano. É preciso estar atento para escutar o que as crianças têm a dizer aos adultos e isso acontece o tempo todo nos espetáculos, inclusive para os pais, que começam a descobrir a autonomia de seus bebês”.

No Espaço Sobrevento, mantido pelo Grupo no bairro do Belenzinho, em São Paulo, há cadeiras especiais para os bebês assistirem às peças teatrais. Segundo Luiz, não é raro os pais se surpreenderem ao ver seus bebês, acostumados apenas com colo e berço, ficarem sentados nesses assentos durante 50 minutos, concentrados nos espetáculos. O local, que fica perto de uma estação de metrô, possui estacionamento para carrinhos de bebês, banheiro com trocadores, cadeira de amamentação e um espaço com brinquedos simples, como conchas e caramujos, para proporcionar a confraternização e o encontro antes do início das apresentações.

Os três espetáculos apresentados pelo grupo têm durações variadas, de 25 a 50 minutos. Eles ficam em cartaz por temporadas. A capacidade de público costuma ser de 80 pessoas: 40 bebês com um acompanhante cada. No entanto, é comum que a grande procura leve a companhia a acomodar até 120 espectadores por apresentação. Todas elas são gratuitas e, para promovê-las, o grupo costuma acessar editais de cultura.

A iniciativa de teatro para bebês do Grupo Sobrevento não fica restrita ao espaço no bairro do Belenzinho. Junto com a companhia La Casa Incierta, pioneira no teatro para a primeira infância na Espanha e também presente em Brasília, o grupo já realizou seis edições do “Primeiro Olhar: Festival Internacional de Teatro para Bebês”, com apresentações na capital federal, em São Bernardo do Campo (SP) e em São Paulo. A iniciativa tem colaborado para incentivar a produção para esta faixa etária no país, engajando mais grupos e trazendo companhias de fora do Brasil.

Conscientes da importância da arte para o desenvolvimento humano, o Grupo Sobrevento e La Casa Incierta também levam o teatro a outros espaços, como creches e presídios femininos, onde as mães ficam com seus bebês até os seis meses de vida. Além disso, realizam oficinas com educadores para sensibilizá-los e oferecer-lhes mais informações sobre o tema. Em São Bernardo do Campo, em 2014, o Sobrevento fez apresentações em todas as creches públicas e credenciadas à prefeitura, o que somou aproximadamente 130 instituições de ensino. Este ano, a pedido das próprias creches, ampliaram o alcance a 160.

As apresentações no espaço escolar foram motivadas pela percepção de que os espetáculos que aconteciam dentro de teatros, ainda que gratuitas, atingiam um público muito específico, que já tinha o hábito de frequentar esses locais. As visitas acontecem, portanto, com o objetivo de democratizar o acesso à arte.

“Quando vamos às creches, levamos todo o cenário, equipamento de som e figurino, para montar um ambiente que rompa com o cotidiano das crianças e seja mágico. É incrível ver como, numa creche ruidosa, estabelece-se um silêncio profundo durante as apresentações. Os bebês e os educadores se emocionam”, conta Luiz André.

O Grupo Sobrevento também produz espetáculos para crianças de outras idades, adolescentes, jovens e adultos, e possui um importante reconhecimento por seus espetáculos de animação e com bonecos, também se engajando em festivais e seminários sobre o tema e acumulando prêmios de importância nacional.

 

 

 

inspirese_gruposobrevento_foto1

 

 

 

inspirese_gruposobrevento_foto2

 

 

inspirese_gruposobrevento_foto4

 

 

inspirese_gruposobrevento_foto3

 

 

inspirese_gruposobrevento_foto5

 

 

inspirese_gruposobrevento_foto6

 

2016 Secretaria Executiva da Rede Nacional Primeira Infância - Triênio 2015/2017: CECIP - Centro de Criação de Imagem Popular