A CRIANÇA E O ESPAÇO: A CIDADE E O MEIO AMBIENTE

Inspire-se

La Casa Incierta

O pioneirismo marca a história da companhia de teatro La Casa Incierta, tanto no Brasil quanto na Espanha. Fundada pelo diretor espanhol Carlos Laredo e a atriz brasileira Clarice Cardell, o grupo se dedica a pesquisa, criação e fomento do teatro para bebês desde o ano 2000, quando o assunto era pouco conhecido e debatido nos dois países. Hoje, o grupo é reconhecido em nível internacional e estende suas atividades a Bélgica, Itália, França e Portugal.

A dedicação ao teatro para a primeira infância começou após o nascimento da primeira filha de Carlos e Clarice. Desde então, engajaram-se na investigação sobre as possibilidades da linguagem artística para crianças de 0 a 3 anos, tendo desenvolvido diversos espetáculos, dentre os quais mantêm oito em repertório. Outra frente que logo se revelou importante para a atuação da companhia foi a disseminação do tema entre produtores culturais, educadores, pais e governantes.

Desde que começaram a trabalhar com o teatro para bebês, Clarice e Carlos perceberam que seria muito importante conscientizar os adultos sobre o papel central que a arte tem na formação humana:

“A cultura é o que diferencia o homem de outras espécies animais. Ela, por meio do teatro, da música e do cinema, entre outras expressões, é a maior criadora de vínculos sociais, que é aquilo de que o ser humano mais precisa”, explica Carlos.

No teatro, afirma Carlos, a ausência de repertório prévio nos bebês abre espaço para uma experiência contemplativa, emocional, que estimula a concentração e o engajamento dos espectadores com a experiência sensorial do momento. As ferramentas narrativas usadas no teatro convencional para adultos são postas em xeque como, por exemplo, a estrutura cronológica para contar histórias: passado, presente e futuro. Os bebês vivenciam o presente radicalmente. Mas isso não tira deles a capacidade de se envolverem com as histórias apresentadas. De acordo com Carlos, os espetáculos costumam durar de 30 a 40 minutos, pois as apresentações são bastante intensas.

“No teatro para a primeira infância, você se relaciona coletivamente com cada indivíduo que está ali. É uma experiência extremamente emocional. É como você olhar cada um deles no fundo da alma, numa experiência muito comovente, para o artista e para o público”, diz Carlos.

Também devido a esta intensidade, o grupo não faz espetáculos para uma plateia maior do que 40 bebês e 40 adultos. No fim, os usuais aplausos do teatro convencional são substituídos por um profundo silêncio e a atitude de cruzar as fronteiras do palco de arena: os bebês costumam ir até os atores para interagir, trocar.

No Brasil, La Casa Incierta fica baseado na capital federal, onde apresenta seus espetáculos em teatros, festivais e creches, e empreende um importante esforço de diálogo com o poder público sobre a cultura na primeira infância. Em 2013, a companhia teve participação ativa na construção do Plano Distrital pela Primeira Infância e, no âmbito da Rede Nacional Primeira Infância, lidera o Grupo de Trabalho sobre cultura. A companhia também realiza, desde 2010 junto com o Grupo Sobrevento, o “Primeiro Olhar: Festival Internacional de Teatros para Bebês”. O evento já está na sexta edição e tem sido uma importante ferramenta para divulgar a cultura para primeira infância no país, incentivando a formação de público e também de profissionais.  La Casa Incierta realiza ainda temporadas em diversas cidades do país, com o mesmo objetivo de popularizar e estimular a arte para bebês.

 

 

inspirese_laCasaIncierta_foto1.png4 inspirese_laCasaIncierta_foto2 inspirese_laCasaIncierta_foto3 inspirese_laCasaIncierta_foto4 inspirese_laCasaIncierta_foto1

2016 Secretaria Executiva da Rede Nacional Primeira Infância - Triênio 2015/2017: CECIP - Centro de Criação de Imagem Popular