Instituto Fazendo História lança publicação que sistematiza o programa “Apadrinhamento Afetivo”

Registro do lançamento, no Tribunal de Justiça de São Paulo

Reiterando um de seus valores mais importantes, o de compartilhar conhecimento, o Instituto Fazendo História sistematiza e lança mais uma metodologia de trabalho: o Apadrinhamento Afetivo. (Para fazer download do guia, clique AQUI).

No mês de setembro, foi realizado um Seminário na Vara Central da Infância e Juventude de São Paulo, que contou com a presença do Desembargador Eduardo Gouvêa – Coordenador da Infância e Juventude do TJSP, Dra. Dora Martins – Juíza substituta em 2º Grau do TJSP, Dra. Cristina Balbone Costa – Juíza da Vara Central da Infância e Juventude do TJSP, e grande parte da equipe técnica desta VIJ, de profissionais de serviços de acolhimento e de outros órgãos (como CREAS e Conselho Tutelar) da região. Monica Vidiz, coordenadora do Apadrinhamento Afetivo do Instituto, contextualizou o lançamento e apresentou a nova publicação: Apadrinhamento Afetivo, Guia de Implementação e Gestão, e livro que compõe o kit de multiplicação do projeto.

O evento foi o 1º seminário de uma série de 10 que reunirá às equipes técnicas de 10 Varas de Infância e Juventude de São Paulo e profissionais de serviços de acolhimento para esclarecer o conceito, sensibilizar, refletir sobre as ações já realizadas e instrumentalizar para o uso do kit construído pelo Instituto Fazendo História.

O kit tem o objetivo de compartilhar os fundamentos e procedimentos do Instituto Fazendo História na execução do Apadrinhamento Afetivo, contribuindo com sua implementação e gestão qualificada, protagonizadas por diversos atores, em muitos lugares do Brasil. É um convite para que cada pessoa, equipe, comarca ou região se aproprie da experiência do IFH, adeque-a à realidade local e encontre a forma de executar o programa com qualidade, considerada sua importância e complexidade. O Instituto espera que sirva como inspiração, instrumento e referência para a criação ou aprimoramento de programas de Apadrinhamento Afetivo, oferecendo a muitas outras crianças e adolescentes a vivência de vínculos individualizados e duradouros e o fortalecimento de seu direito à convivência familiar e comunitária.

O programa de Apadrinhamento Afetivo é uma estratégia de trabalho para o fortalecimento da convivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes em situação de acolhimento,com remotas chances de retorno familiar ou adoção.  A vivência de um vínculo individualizado e duradouro, a participação na vida comunitária, as experiências de convívio familiar e a ampliação do repertório social e cultural estão entre os benefícios esperados para cada criança ou adolescente participante.

Caso queira ter acesso ao caderno de atividades, o envio será feito por e-mail. Solicite enviando uma mensagem para contato@fazendohistoria.org.br

(Fonte: Instituto Fazendo História – http://www.fazendohistoria.org.br)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *