O desenvolvimento do bebê aos 2 anos

Departamento de Saúde Escolar da SBP – Sociedade Brasileira de Pediatria

 

No segundo ano de vida, seu filho explora os ambientes com muita curiosidade, mexendo em tudo. Ele está desenvolvendo suas habilidades motoras amplas e finas. Nesta idade, é preciso cuidar com a segurança do ambiente e a criança não pode ficar sem supervisão.

Os cuidados com a troca de fraldas, o banho, a alimentação e o sono podem contribuir para que a criança adquira bons hábitos de higiene e mesmo estimular a futura autonomia.

A alimentação é muito importante e deve ser variada, equilibrada e oferecida como parte das atividades de educação nutricional.

Por volta dos dois anos, inicia-se a retirada das fraldas e o uso do vaso sanitário, atividade que deve ser bem articulada entre a família e a creche.

Estímulo à comunicação oral

Se seu filho já estiver na creche, é importante verificar a qualidade do atendimento. Veja se são oferecidas atividades complementares às ações da família, visando ao desenvolvimento físico, psicológico, intelectual e social da criança.

Os ambientes devem ser arejados, bem iluminados, higiênicos, seguros e adequados ao estímulo dos bebês, com brinquedos de vários tipos, sempre seguros. A motricidade da criança é estimulada com brincadeiras ao ar livre e exploração do ambiente. Iniciam-se as atividades com massa de modelar, tintas e rabiscação. Não podem faltar estímulos à comunicação oral como músicas e histórias.

Assim como a sua casa, a creche tem que ser um ambiente seguro. Certifique-se que as escadas estejam protegidas com portões e as janelas com grades ou telas. Se tiver piscina, que tenha acesso restrito, com portão trancado a chave. Também deve ser evitado o acesso de crianças a certas dependências como a cozinha e depósito de produtos de limpeza. Verifique se as tomadas elétricas são protegidas ou fora do alcance dos bebês. O local onde os bebês dormem deve ser silencioso e constantemente supervisionado por um adulto.

Lembre-se que dos seis aos dezoito meses de vida acontece uma baixa na imunidade e todos os bebês ficam mais suscetíveis a infecções, principalmente àquelas causadas por vírus. Não leve seu bebê doente para a creche sem antes consultar o pediatra. Se ele estiver sendo medicado, prefira administrar os remédios em casa. Se for necessário dar alguma dose na creche, oriente a responsável pela criança e leve junto a receita médica e a bula do medicamento. Mantenha as vacinas em dia e sempre que seu filho receber uma dose, informe à creche para que eles acompanhem a reação do bebê.

Participe sempre das reuniões da instituição, para acompanhar o desenvolvimento das crianças, para opinar e conhecer o trabalho pedagógico.