PE: Secretaria de Saúde reforça campanha de vacinação contra o sarampo

Diante do baixo número de crianças imunizadas até o último dia 2, a Secretaria Estadual de Saúde prorrogou até 24 de agosto a campanha de vacinação contra sarampo. A medida foi adotada por causa do eminente risco de surto da doença no Estado, detectado em março. De janeiro a junho deste ano, mais de 150 casos foram notificados e 62 confirmados em 14 municípios. Uma morte suspeita ainda está em investigação.

A meta é imunizar 260 mil pequenos. No entanto, só foram vacinados aproximadamente 47 mil. Para atender à demanda, 700 postos de 24 municípios estarão de prontidão. O público-alvo é formado por meninos e meninas, com idade entre seis meses e 4 anos. As crianças receberão dose da tríplice viral contra sarampo, rubéola e caxumba.

Há mais de 10 anos, Pernambuco não registrava casos de sarampo. A doença infecciosa e viral é causada pelo Paramixovírus do gêneroMorbillivirus. Para tentar evitar novas ocorrências, o Ministério da Saúde disponibilizou 390 mil doses da vacina.

“Estamos fazendo uma campanha preventiva nos municípios que registraram casos da doença. Queremos que as crianças fiquem protegidas e não tenhamos risco de reintrodução da doença no Brasil”, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, em entrevista à Rádio Jornal.

O secretário ressaltou, ainda, que os casos verificados recentemente estão diretamente ligados ao contato da população com turistas estrangeiros. “Depois do Carnaval, provavelmente a partir de algum turista europeu, foi identificada a ocorrência de alguns casos, principalmente, na Região Metropolitana. No Brasil, não há mais a transmissão de sarampo como havia no passado. Mas aqueles países com grande circulação de turistas, como Alemanha, França e Espanha, ainda apresentam surto da doença”, declarou.

De acordo com levantamento da Secretaria Estadual de Saúde, o Recife foi o município que teve o maior número de casos. Por isso, durante a campanha todos os postos de saúde estarão funcionando em dois horários: das 8h às 12h e das 13h às 17 h.

A coordenadora do Programa de Imunização do Recife, Elizabete Azoubel, reforça a necessidade de os pais levarem os filhos para vacinar. “É imprescindível que todos compareçam. Precisamos proteger as crianças, principalmente as menores de 1 ano, pois nessa faixa etária os riscos de complicações são bem maiores.”

HISTÓRICO – Os últimos casos de sarampo transmitidos em território nacional foram registrados no ano de 2000. Graças à cobertura de vacinação e ao trabalho da vigilância epidemiológica, apenas casos importados ou secundários haviam sido notificados em terras brasileiras.

No ano passado, depois de o Brasil receber a Certificação de Eliminação do Sarampo, foram confirmados dois casos importados. Um em Pernambuco, após viagem de uma pessoa à Europa, e outro em São Paulo, de vítima que viajou aos Estados Unidos.

Informações: Jornal do Commercio – PE