3ª Live da Roda de Conversas Alusiva à Semana do Brincar

Na noite da quinta-feira, 30 de junho, aconteceu o terceiro episódio da série “Roda de Conversas da RNPI” que acontecerá durante todo ano. Mais uma vez o brincar foi o disparador dessa roda de conversa virtual promovida pela Rede Nacional Primeira Infância (RNPI). Neste episódio, esteve presente, com as Coordenadoras da Secretaria Executiva da RNPI Cida Freire e Solidade Menezes, o professor Dr. Paulo Fochi. Ele é um pesquisador da Infância e suas culturas, assim é o idealizador e coordenador do OBECI – Observatório da Cultura Infantil. Este é um espaço para estudos e pesquisas. Acesse o site e veja o trabalho realizado.

Cida Freire e Solidade Menezes, mais uma vez em suas defesas, retomaram a importância do brincar na vida e para o desenvolvimento integral das crianças. Destacaram que brincar não só é um direito como está garantido em lei. No entanto, precisamos ainda dialogar sobre a temática para defender a garantia desse direito nas infâncias, uma vez que muitas pessoas e entidades não entendem e/ou não percebem esse direito como efetivamente deveria ser.

O professor Paulo trouxe muitas reflexões sobre a criança e a educação infantil. Iniciou a fala retomando aspectos da realidade em que a criança e as escolas vivenciaram nos últimos anos. Trouxe aspectos do porque o brincar é estruturante na vida das crianças, sendo a chave da cultura infantil e a chave da construção do conhecimento, bem como alimenta as faculdades da vida das crianças como: imaginativa, emotiva, criativa, etc. Ele reforçou que a educação infantil deve proteger o brincar. Esta etapa da educação básica não deve ser uma etapa de escolarização precoce, nem antecipação da alfabetização. A educação infantil deve criar condições para a criança desenvolver um estofo mental, imaginativo, criativo, de experiências imaginativas, lúdicas para dar sentido a escrita.

Ainda, dialogou sobre a BNCC e as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil (DCNEIs), que compreende crianças de 0 a 6 anos. As DCNEIs, marcam a especificidade pedagógica da educação infantil e trazem como eixo central desta etapa as interações com o mundo e as brincadeiras, assim nasce o conhecimento. Lembrou que os acontecimentos diários que ocorrem nas escolas são materiais de aprendizagem para essas crianças enfatizando a importância da valorização do conhecimento sócio-histórico.

Na continuidade, Paulo Fochi retomou os pressupostos dos campos de experiências e os direitos de aprendizagem, destacando que os mesmos têm como objetivo o desenvolvimento integral das crianças. Salientou a importância de estudar e interpretar a parte introdutória da BNCC da Educação Infantil. Expôs que nos textos tem todo o embasamento do porque a mesma está organizada dessa forma tendo a ludicidade, a continuidade e a significatividade como eixo central de todo esse processo. Lembrou que os campos de experiências e os objetivos de aprendizagem estão conectados e interligados, como consequência de um trabalho integrado.

Destacou que o apostilamento poda a construção desse conhecimento livre, retirando a oportunidade de desenvolvimento da criatividade, da ludicidade e do brincar. Essas experiências fragilizam a educação infantil. Expressou também que a pandemia aliada a troca de gestão na área educacional brasileira, com uma política descontinuada, enfraqueceram muito as concepções e as conquistas já adquiridas. Ao final trouxe reflexões sobre a importância do planejamento aproveitando o espaço escolar para isso, com suporte pedagógico adequado.

Convidamos você a assistir a live na íntegra (clique aqui para assistir).

A série de lives “Roda de Conversas”, acontecerá durante o ano todo, a cada quinze dias, com temas que podem ser proposto por qualquer membro ou instituição da Rede. Venha conversar, cirandar e esperançar com a RNPI.

Fonte: NUJOR UNCME-PE /RNPI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.