A importância dos vínculos afetivos na primeira infância

 

A fase de desenvolvimento infantil é reconhecida como uma importante janela de oportunidades para o investimento no desenvolvimento das potencialidades da criança. Logo, estímulos, cuidado e muito afeto serão super bem-vindos. Para o bebê e a criança pequena a criação de vínculo afetivo, seja com a mãe ou outro adulto que a represente, é fundamental.

É por meio das trocas de afeto que a criança desenvolve suas primeiras relações, aprende a interagir, a se comunicar e também inicia a capacidade de desenvolver empatia.

Os primeiros anos de vida de uma criança requerem cuidados especiais nos quais o afeto, também conhecido como criação com apego pode trazer muitos benefícios ao desenvolvimento infantil e será refletido na forma como essa criança se relacionará com os outros quando adulta.

Como mães e pais muitas vezes nos preocupamos se dar muito colo, fazer uso da cama compartilhada deixará a criança com “mau costume”. Mas é importante lembrar de algumas coisas:

  • Carinho e afeto nunca são demais!
  • As crianças crescem rápido e em breve não vão querer o seu colo ou dormir na sua cama.
  • Pesquisas mostram que crianças que possuem vínculos afetivos na primeira infância são mais seguras e autônomas.
  • E talvez o mais importante, não há uma receita que sirva para todos e todas! As crianças são diferentes umas das outras e as famílias também!
  • O importante é garantir que compreendemos as fases e necessidades que cada etapa de desenvolvimento demanda e dar o melhor que pudermos para garantir que nossos meninos e meninas terão seu pleno desenvolvimento e proteção.

(Por Andréa Freire, assessora de Educação da Visão Mundial – www.visaomundial.org)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *