Assembleia de Primavera promove encontros e reflexões sobre atuação da Rede Nacional Primeira Infância

Fotos: Rede Nacional Primeira Infância / Nathália Gregory

Cerca de 70 defensores dos direitos das crianças, de todas as regiões do Brasil, participaram da Assembleia de Primavera da Rede Nacional Primeira Infância, no Rio de Janeiro. O encontro aconteceu nos dias 23 e 24 de novembro, no Museu da República, e fez um grande balanço das atividades da RNPI ao longo dos últimos três anos – período da gestão do CECIP – Centro de Criação de Imagem Popular como secretaria executiva da Rede, além de promover uma reflexão sobre as práticas da RNPI e as ações futuras da Rede. No encontro, também foi celebrada a despedida do CECIP como secretaria executiva da RNPI e a posse da ANDI – Comunicação e Direitos que assumirá como secretaria executiva em janeiro de 201 – além das trocas de informação e afeto, tão comuns aos encontros presenciais dos integrantes da Rede.

Maria Mostafa, coordenadora da secretaria executiva/ CECIP

Os participantes foram recebidos com uma grande linha do tempo, que listou as principais ações realizadas pela RNPI ao longo dos últimos anos – incluindo cartas enviadas aos congressistas, reuniões de incidência política, eventos, seminários realizados e lançamentos de publicações e vídeos. No primeiro dia, a equipe do CECIP facilitou uma atividade de escuta dos participantes sobre os eixos de ação da secretaria executiva (desenvolvimento institucional, incidência política, comunicação, GTs e projetos) e fez a apresentação de seu relatório final de gestão, compartilhando com a assembleia suas ações, reflexões e aprendizagens. Maria Mostafa, coordenadora da secretaria executiva, apresentou os dados sobre Desenvolvimento Institucional, dando destaque para o desafio que o crescente aumento de organizações integrantes da RNPI representa para a sua gestão. E ressaltou também o trabalho invisível realizado no processo de gestão de membros, como a contínua atualização dos dados dos mais de 200 integrantes, assim como o processo de entrada dos novos membros, que envolve diferentes etapas. Em seguida, Dinah Frotté, diretora administrativa do CECIP, apresentou o relatório financeiro com os recursos captados pela equipe da secretaria executiva junto aos parceiros institucionais – Instituto C&A e Fundação Bernard van Leer – assim como de parceiros financiadores de projetos específicos – como Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, Alana, Santander. Além do relatório sobre a gestão desses recursos, foram sistematizados alguns desafios permanentes da gestão de uma secretaria executiva da RNPI, como a manutenção e diversificação de fontes de financiamento, a atenção às sinergias e demandas que vem dos parceiros da RNPI, e a necessidade de elaboração e implementação de um Plano de Sustentabilidade.

A jornalista Rosa Maria Mattos apresentou as frentes de ação da comunicação da Rede Nacional Primeira Infância, tanto para o público interno quanto para o público externo, e reforçou a importância do fortalecimento do diálogo e troca de informações entre os comunicadores das organizações integrantes como forma de potencializar as divulgações e produções de conteúdo dos membros da rede. Em um contexto de excesso de informação e mudanças constantes no campo da comunicação digital, os dados de crescimento de audiência confirmam que a RNPI é uma referência na produção de conhecimento sobre as crianças de até seis anos de idade, e que tem potencial para continuar crescendo e contribuindo na qualificação dos conteúdos disseminados nas redes sociais – e aprofundados no site da rede. Simone Valadares falou sobre a potência dos Grupos de Trabalho da RNPI (GT do Brincar, Cultura, Educação Infantil, Participação Infantil, Plano Municipal pela Primeira Infância, Proteção e Prevenção às violências,e Saúde) na produção de conhecimento e incidência política. Em sua reflexão, a partir da experiência no acompanhamento do trabalho dos GTs, analisou que a diversidade de pessoas, lugares e saberes, conectadas pela sinergia de cada GT, possibilita a representação das diferentes infâncias brasileiras, a qualificação dos debates e as trocas de conhecimento.

Claudius Ceccon (CECIP) e Miriam Pragita (ANDI)

Claudius Ceccon apresentou as reflexões sobre as ações de incidência política ao longo dos anos de gestão do CECIP – que viveu um contexto político de grande instabilidade, com o impechment da Presidenta Dilma Rousseff e mudanças nos Ministérios – e de retrocessos no campo dos direitos sociais, promovidos pelo Congresso Nacional. Em sua reflexão, Claudius reforçou a importância das cartas abertas e manifestos como documentos históricos, nos quais a Rede demonstra estar fiel à sua missão, se posicionando de maneira independente face aos governos. “Nossa reflexão precisa abordar questões como a disputa de concepções sobre a criança em seus primeiros anos de vida. Há uma avalanche de dados que procuram nos convencer que o Brasil não tem condições de assumir o que a Constituição determina destinar à educação e à saúde. Uma visão estreitamente monetarista considera educação e saúde como gastos e não como investimentos essenciais para um melhor futuro para todos”, afirmou Claudius. Isabella Gregory abordou os projetos especiais que foram realizados ao longo dos últimos três anos – seu legado para a RNPI no aprofundamento de temas e também o desafio de conciliar as atividades de rotina da secretaria executiva com ações pouco flexíveis no âmbito dos projetos. Isabella também apresentou, com maior detalhamento, o projeto do Curso para Elaboração dos Planos Municipais pela Primeira Infância (clique aqui para saber mais).

No fim do primeiro dia, aconteceu uma grande roda de celebração e posse da nova secretaria executiva. O atual coordenador, Claudius Ceccon, do CECIP, fez a passagem de bastão para Miriam Pragita, diretora executiva da ANDI. “Houve momentos inesquecíveis, que passaram a fazer parte de nossas vidas e deixam uma saudade indefinida, que é boa e ao mesmo tempo dói um pouquinho, bem lá no fundo. Boa viagem, Miriam! Você tem muita gente indo junto com você, na mesma direção!”, celebrou Claudius. Miriam Pragita agradeceu a confiança das organizações da Rede Nacional Primeira Infância, e comemorou junto com Ana Potyara, diretora financeira, e Flávia Falcão, jornalista.

Integrantes em atividade do Planejamento Estratégico

O segundo dia de assembleia foi iniciado com a apresentação de um relatório prévio da avaliação externa da Rede Nacional Primeira Infância, que está sendo realizada pela ponteAponte. Em seguida, os participantes fizeram ponderações e comentários sobre a avaliação – e o grupo facilitou uma dinâmica de levantamento de sonhos e projeção de expectativas para compor o planejamento estratégico da RNPI, que também será realizado pela empresa. Na parte da tarde, o GT Homens pela Primeira Infância fez o lançamento exclusivo do relatório técnico do III Seminário Paternidades e Primeira Infância – que aconteceu em São Paulo, em setembro, sistematizando os debates que aconteceram no evento. Em seguida, Miriam Pragita, da ANDI, apresentou e teve seu plano de ação para 2018 aprovado junto a assembleia. No plano de ação, a ANDI mantém as linhas de ação atuais da secretaria executiva (incidência política, comunicação e desenvolvimento institucional) e acresce uma linha de ação para captação de recursos.

No encerramento, a Assembleia apreciou e fez considerações sobre a minuta do manifesto “Prioridade à criança em tempo de crise”, que traz uma análise do cenário político brasileiro de crise institucional, e propõe uma agenda  com pontos de atenção e incidência. O documento foi discutido, aprovado pela maioria dos presentes – e está em fase de finalização.

Rosa Maria Mattos – comunicação da Rede Nacional Primeira Infância

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *