Avante participa de congresso internacional sobre combate ao trabalho infantil

Compartilhar estudos e experiências exitosas no combate ao trabalho infantil, problema que atinge mais de 3,4 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos no Brasil (PNAD/2011). Este é o objetivo do IV Encontro Internacional contra o Trabalho Infantil, realizado pela Fundação Telefônica no dia 26 de agosto, em São Paulo. A Avante – Educação e Mobilização Social foi convidada a apresentar dados sobre a exploração da mão de obra de crianças e adolescentes na Bahia por sua trajetória na realização de projetos de enfrentamento em 27 municípios baianos.

Temas como as piores formas de trabalho infantil; a exploração da mão de obra de crianças e adolescentes nas cadeias produtivas; e o trabalho adolescente permitido serão debatidos durante o encontro, que trará ainda a apresentação do estudo socioeconômico “Trabalho Infantil e Adolescente – Impacto Econômico e os Desafios para a Inserção de Jovens no Mercado de Trabalho no Cone Sul”, elaborado por Ricardo Sennes. A Avante participará da mesa temática “O trabalho coordenado para combater as piores formas de trabalho infantil”.

O encontro em São Paulo é a última etapa de uma série de edições já realizadas em Quito (Equador), Panamá e México. A proposta é fortalecer regionalmente a rede de pessoas e instituições que atuam na proteção dos direitos da criança e do adolescente e, mais especificamente, no enfrentamento ao trabalho infantil. A partir do dia 29 de julho e até o evento presencial, acontecerão debates virtuais na web da Rede LACTI (wwww.redcontraeltrabajoinfantil.com). O conteúdo final produzido em todas as etapas do evento será levado como contribuição latino-americana para as discussões da III Conferencia Mundial sobre Trabalho Infantil, que acontece no Brasil em 2013.

Piores Formas de Trabalho Infantil – Signatários das convenções internacionais 138 e 182, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Brasil e países do Mercosul assumiram o compromisso de erradicar as piores formas de trabalho infantil até 2016. A lista das Piores Formas inclui atividades como o trabalho infantil doméstico, a exploração sexual, o trabalho em borracharias e oficinas, no tráfico de drogas, em locais de venda de bebidas alcoólicas e em ruas ou outros logradouros públicos.

Informações: Avante – Educação e Mobilização Social