Boletim Primeira Infância em Primeiro Lugar

05 a 11 de Fevereiro de 2011

Maranhão

Iniciativa para reduzir a mortalidade infantil

Como parte das ações do projeto Cuidando do Futuro, iniciativa do governo do Maranhão em parceria com a Prefeitura de São José de Ribamar, foram entregues kits de enxoval para 70 mães do município. O projeto pretende reduzir a mortalidade infantil em 10% em 17 regiões do estado. São José de Ribamar fica na região metropolitana de São Luís e recebe diversas gestantes de outras cidades. A rede de atendimento também será ampliada, com oito novas unidades básicas de saúde. Nos próximos meses será inaugurada a primeira Maternidade Municipal de São José de Ribamar. Ao longo do ano passado, os profissionais da saúde participaram de várias etapas de capacitação, dentre elas cursos de cuidados com recém-nascidos e assistência integral às doenças prevenidas da infância. (O Estado do Maranhão (MA) – 10/02/2011)

Paraíba

Crianças estão tendo que voltar pra casa

Crianças da creche Antonieta Aranha de Macedo, em João Pessoa (PB), estão saindo mais cedo por falta de professor e água na instituição. De quatro docentes responsáveis pela educação de mais de 100 crianças na faixa etária de dois a seis anos, a escola conta apenas com dois. Outro agravante é a constante falta de água. A Secretaria de Educação do município confirma o pedido de recontratação de professores para a creche. Quanto à água, a coordenadora adjunta da creche, Magnólia Menezes, afirma que a prefeitura enviou garrafões para suprir a necessidade nos próximos dias. A caixa de água da instituição passa por manutenção. O abastecimento deve se normalizar ainda esta semana. (Jornal da Paraíba (PB) – 10/02/2011)

Paraná

Adolescentes na gestão da Copa

Dois adolescentes de Ponta Grossa (PR) serão os representantes paranaenses a participar do processo de organização da Copa do Mundo e das Olimpíadas, sediadas no Brasil nos anos de 2014 e 2016. Aline Czezacki e Marco Marson foram os escolhidos. O objetivo é coibir a ocorrência de qualquer tipo de exploração de crianças e adolescentes durante os dois eventos, pela elaboração de políticas públicas, além da discussão acerca da garantia do esporte seguro, inclusivo e solidário. O encontro de adolescentes “Olimpíadas no Rio e Copa do Mundo no Brasil” será realizado em março, no Rio de Janeiro (RJ), sob organização do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Vão participar representantes de 14 escolas de vários estados. (Diário dos Campos (PR) – 06/02/2011)

Pernambuco

Pacientes denunciam falhas em maternidade

Seis anos após receber do Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef) o título de Hospital Amigo da Criança, a Maternidade Bandeira Filho, em Recife (PE), está sendo acusado de falha em procedimentos por duas ex-pacientes. Elas denunciaram o local por negligência. De acordo com Noemia da Conceição, 21 anos, seu parto foi induzido por tempo excessivo. Ela perdeu a primeira filha oito dias depois do nascimento (04 de janeiro). Noêmia conta que forçaram o parto normal por doze horas. A outra paciente teve o útero retirado após o parto. Segundo o secretário-executivo de Saúde de Recife, Tiago Feitosa, a denúncia causou surpresa, pois nenhuma delas os procurou oficialmente até agora. Assim que o caso veio à tona, na última segunda-feira (07), a Secretaria de Saúde abriu uma sindicância para investigá-lo. (Jornal do Commercio (PE) – 10/02/2011)

Icia amplia diagnóstico de câncer

O Instituto do Câncer Infantil do Agreste (Icia) irá ampliar o alcance da Caravana do Diagnóstico Precoce. O programa funciona em parceria com secretarias de saúde dos municípios promovendo palestras sobre o câncer infantil para profissionais da área. O objetivo é capacitar os profissionais para que reconheçam sintomas do câncer nas crianças atendidas nos hospitais. O programa já passou por 23 cidades, capacitando mais de dois mil médicos, agentes de saúde, dentistas e oftalmologistas. A estimativa é de que em 2011 mais dez cidades sejam beneficiadas. Só no ano passado, sete mil crianças passaram pelo diagnóstico do câncer infantil, 60% vindas de cidades vizinhas. É importante que os profissionais saibam identificar a doença para encaminhar ao Icia, onde as crianças terão diagnóstico especializado e tratamento. (Jornal do Commercio (PE) – 07/02/2011)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.