Debate destaca importância do contato entre avós e netos mesmo que virtualmente

Especialistas apontam uma série de vantagens, tais como: melhor entendimento sobre o ciclo da vida por parte das crianças e menor risco de depressão para os idosos

A importância da intergeracionalidade, que é o contato entre pessoas de diferentes idades, foi o principal tema da reunião virtual da Frente Parlamentar Mista da Primeira Infância na quinta-feira (23). Muitos participantes falaram sobre como essa comunicação, mesmo a distância, está ajudando crianças e idosos a enfrentarem melhor o isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19.

O debate foi entremeado por depoimentos gravados em vídeo com netos e avós, que falaram sobre as dificuldades desse período. Maria Thereza Marcílio, que tem cinco filhos e oito netos, mostrou como a convivência diária com um dos netos melhorou o confinamento.

“A presença de uma criança traz vida, alegria, entusiasmo, traz novidade sempre. Meus netos são muito criativos, cheios de ideias e isso ajuda a gente a manter a crença e a fé na vida e na humanidade. ”

O geriatra Alexandre Kalache, por sua vez, apontou um outro lado da pandemia, provocado pelas desigualdades sociais: “Com a alta do desemprego, é o avô ou a avó que está botando comida na mesa, graças ao dinheiro de aposentadoria ou pensão.”

Valorização do lúdico
A interação entre avós e netos também foi destacada pela presidente da Associação Internacional do Brincar (IPA Brasil), Janine Dodge. Ela disse que, para as crianças, a intergeracionalidade promovida de maneira mais lúdica favorece a transmissão cultural, além de uma melhor aceitação dos idosos e maior entendimento sobre o ciclo da vida. Para os avós, ela enumerou vantagens como o aumento da interação social, com menos chance de depressão.

“O brincar proporciona o resgate da infância e da criança interior de cada um, onde estão a criatividade e as emoções. Destacamos também o aumento da atividade física, cognitiva e social obtida no brincar intergeracional, que pode ajudar a melhorar a saúde e a qualidade de vida das pessoas idosas ”, explicou Janine.

Respeito
Coordenadora da Frente Parlamentar Mista da Primeira Infância, a deputada Leandre (PV-PR) salientou a importância da presença dos avós na vida das crianças pequenas.

“Elas vão, desde cedo, conviver com as pessoas idosas e, com isso, aprender a tratá-las com dignidade e respeito”, comentou.

Durante o debate, a jornalista Elisabete Junqueira, criadora do site Avosidades, lembrou também o papel dos avós na vida dos netos que se inspiraram neles para seguir uma carreira profissional ou que receberam o apoio que não tiveram dos pais em questões como a orientação sexual.

Veja mais:

Avós e nós: as relações afetivas que permanecem além da infância

 

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.