Primeira Infância é tema de Desafio Universitário

Em 2019 o Brasil registrou aproximadamente 20,6 milhões de crianças com idade entre 0 a 6 anos

A primeira infância é o período que corresponde aos primeiros seis anos de vida do ser humano. Nas últimas décadas, a Neurociência e a Economia validaram mais concretamente conhecimentos da Pediatria, Psicologia, Biologia, Ciências Sociais, entre outras, em relação à importância das condições e experiências vividas no começo da vida. Segundo o economista americano James Heckman, prêmio Nobel de Economia de 2000, cada dólar investido nessa fase da vida traz até 13% de retorno para a sociedade.

Com a missão de impulsionar o envolvimento das Instituições de Ensino Superior (IES) do Brasil com a temática da primeira infância, a fim de promover um melhor desenvolvimento infantil por meio de cidades mais sustentáveis e amigas das crianças e relações de parentalidade mais saudáveis, a Associação Nacional das Universidades Particulares (ANUP), com o apoio da fundação holandesa Bernard van Leer, e cooperação técnica da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), lança o Desafio Universitário pela Primeira Infância, uma  iniciativa importante  como agente de transformação social nesta temática.

“Acreditamos que a universidade tem papel fundamental na formação e preparação dos futuros profissionais para garantir o pleno desenvolvimento das crianças brasileiras. Esse desafio vem para ampliar a elaboração de soluções práticas para questões ligadas à parentalidade – família e cuidadores como promotores do desenvolvimento das crianças na primeira infância – e cidades amigas das crianças”, explica a presidente da ANUP, Elizabeth Guedes.

Segundo a presidente, esse também será um momento de troca de ideias e temáticas. “Além de formarmos uma rede com alunos e professores de todo o Brasil, o Desafio vai proporcionar ainda acesso a conteúdo de gestão de projetos e teoria da mudança, interação com consultores especialistas em primeira infância e mentoria com experts renomados do campo da inovação social. É um momento muito rico de  troca de informações, onde todos podem ampliar seus conhecimentos com conteúdos internacionais, além de ampliar sua rede de contatos”, complementa a presidente da ANUP, Elizabeth Guedes.

Inscrições
As inscrições são gratuitas e acontecem entre os dias 1 de junho e 16 de agosto. Durante este período, serão realizados webinars sobre a temática do desafio, abertos a todos os interessados. As informações estão disponíveis no site do Desafio desafiouniversitario.com.br.

Grupos formados por, pelo menos, dois alunos de qualquer graduação, e um docente de instituições de ensino superior, privadas e públicas, de todo o país, podem participar e contar ainda com um programa de aceleração durante todo o processo de seleção.

“A primeira infância está diretamente relacionada à qualidade de vida pessoal, familiar e social, escolaridade, produtividade, prevenção de doenças crônicas e desenvolvimento da sociedade como um todo. Este Desafio premiará propostas relevantes, inovadoras, com alto potencial de impacto no público-alvo final, e com efetivo potencial de inclusão da temática por meio de atividades acadêmicas – ou seja, será fundamental a atuação prática dos alunos com a comunidade externa à escola. Reunimos um time de especialistas e teremos um processo de aceleração das iniciativas até chegarmos aos vencedores”, explica a gerente de Responsabilidade Social da ANUP, Júlia Jungmann.

Para se inscrever no Desafio, basta preencher um formulário simples, on-line, na página do Desafio Universitário pela Primeira Infância – desafiouniversitario.com.br, explicando como a iniciativa vai incluir a temática da primeira infância em uma determinada disciplina, curso de bacharelado, licenciatura ou tecnológicos de formação superior, em um departamento e/ou na Instituição de Ensino Superior como um todo.

Durante as outras etapas do Desafio, os participantes selecionados serão acelerados interagindo com especialistas na área, conectando-se com os outros grupos do país, além de receberem mentoria/capacitação individual com especialistas em  inovação social e avaliação de projetos sociais. Os projetos finalistas estarão em um livro editado pela Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), parceira deste Desafio, que será lançado tanto em formato físico quanto digital, em português e espanhol, disponibilizado pela instituição em todos os países em que está presente.

Ao final, serão escolhidas até 3 (três) propostas, que receberão o valor de R$ 10 mil (dez mil reais) cada, como recurso para colocar a iniciativa em prática em 2021.

As iniciativas vencedoras vão ganhar ainda um certificado, além de visibilidade por meio de divulgação nos canais de comunicação dos organizadores e parceiros. Outra bonificação é a participação em webinar exclusivo com profissionais do Chile e da Colômbia, especialistas em Primeira Infância, com objetivo de ampliar seus conhecimentos com conteúdos e interações internacionais. Também será oferecida mentoria com os consultores da empresa ponteAponte, responsável pela execução do Desafio,  durante o processo de implementação da iniciativa, no primeiro semestre de 2021 (total de aproximadamente 8 horas), com direito a certificado aos participantes.

Marco Legal para a Primeira Infância
O Brasil atravessa um momento importante quando se fala em Primeira Infância, em que o interesse e o investimento têm aumentado nos últimos anos. Em 2016 foi sancionada a Lei no. 13.257 (Marco Legal para a Primeira Infância) que dispõe sobre as políticas públicas para a primeira infância e altera dispositivos legais que tratam do assunto.

Já em dezembro de 2019, foi publicada no Diário Oficial da União a Lei 13.960/19, que institui os anos de 2020 e 2021 como o Biênio da Primeira Infância do Brasil, com o objetivo de alertar sobre a importância do desenvolvimento infantil nos primeiros anos de vida. O texto aprovado sugere ainda ações como seminários, audiências públicas e ainda boas práticas de políticas públicas como formas de promoção direcionadas à primeira infância.

Sobre a ANUP
Desde 1989 a ANUP trabalha em prol da educação no Brasil, intermediando a relação entre o poder público e as instituições de ensino superior privadas. É uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, fundada para defender os interesses das universidades, faculdades e centros universitários particulares, estabelecendo o diálogo e a colaboração com os Poderes Públicos. A associação tem como principal objetivo melhorar a qualidade do ensino superior. Atualmente conta com 246 instituições associadas e presentes em todo o país.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.